Pesquisar neste blog

Estrelas brilham, mas não tem vida

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017


Imagem: arquivo distribuído por https://www.freevector.com, com licença do tipo
https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/

Estrelas brilham, mas não tem vida

As estrelas sempre brilham, mas não têm vida. O sol reina, ferve, fervilha, nutre a terra e seu funcionamento, é de um esplendor incalculável pela garantia de sobrevivência que dá a todos os seres do mundo, mas ele não vive, não tem sentimento, não pode medir a si mesmo, não pode optar por nada, não chora com as perdas nem sorri com as vitórias. Não se apaixona, não tem esperança ou desespero.
Viver, sentir, brilhar, ter alma, construir significados, questionar consigo mesmo, com os outros, com todo mundo e toda história. Isso tudo só nós que não temos luz física própria podemos fazer. Isso, sim, é luz, energia. Cabe a nós usarmos essa luz, essa possibilidade de inventar, reinventar, de viver, de pensar da melhor forma possível e até loucamente ou ainda não pensar, para sermos felizes do modo mais saudável possível.

(Jackson Angelo, dezembro de 2014)

Se só existissem animais e o homem não?


Não reclame do ser humano em geral. Se só existissem animais você ia falar com quem? Qual gato, vaca, macaco escreve livros, produz filmes, inventa receitas deliciosas?
Você aprendeu a falar com quem?
O que existiria se não existissem seres humanos? Sei, tudo coberto por selvas e animais e mais animais. Seria lindo um mundo sem seres inteligentes. Sei não haveria bandidos, corruptos, estupradores, hospitais lotados, SUS, mentes insanas e perversas. Mas o mundo não é só feito de gente ruim e fútil, que estragam a paz e a existência, que dão medo e nojo.
Só se o bem não existisse, então, nada faria sentido e todos se matariam ao mesmo tempo.
Se você não existisse qual animal pensaria em ter você? Cuidar de você? Ter você por perto ou em sua habitação?
Quem ligaria pra você? Trocaria mensagens? Com quem conversaria?
Com quem brincaria? Dividiria momentos e conhecimentos?
A quem criticaria? A quem admiraria?
Quando estivesse com doenças graves quem cuidaria de você?
Eu acho que só quem não conhece e acredita no amor pode imaginar que apenas os animais são bons e que nisto todos são superiores aos seres humanos.
Pra vários animais somos nada menos que um prato de comida. Sei, é instinto. Mas e se eles tivessem inteligência e nós não? Não teriam nenhuma vaidade ou inclinação à maldade, traição e perversidades? De alguma forma, seríamos atrações em parques, animais de estimação, teríamos calçadores, seríamos objetos de troca e venda etc.
É muito engraçado que um cachorro lhe peça com os olhos tudo que você come, e depois sai de perto de você pra não dividir nada. É engraçado!
É instintivo que a serpente lhe pique, que os mosquitos acabem com seu sangue e transmitam várias doenças. Que os ratos invadam seu armário em busca de comida.
Até os animais como os cachorros têm rixas com outras espécies. Muitos são inimigos naturais. Mas é só instinto, não existe nada de ética no que fazem. Não há que se julgar se é certo ou errado. É preciso respeitar que eles não agem sob valores éticos, embora existam exemplos de comoção, fidelidade, misericórdia, união, entre outros valores.
Mas, resumidamente, o que penso é que não se pode condenar a humanidade e como se fosse inferior aos outros animais, como se ninguém prestasse e fossem todos maus e capazes das piores atrocidades. Existem pessoas conscientemente boas e outras conscientemente más e ainda os que se situam no meio-termo: sabem quando o mal e injustiça são praticados e preferem o silêncio e abstenção.

Um mundo dominado pela super-mãe (conto rápido)


Imagem: logotipo super-mãe, por Jackson Angelo (2013)

Neste novo mundo, uma super-mãe controlaria seus filhos por meio de chips especiais implantados no DNA de cada pessoa e que ainda comandariam o metabolismo e a vontade humana.
Quando houvesse um impulso de raiva, o chip enviaria sinais ao cérebro para deter completamente o impulso.
Doenças? Não. A super-mãe protegeria a todos com controle absoluto, de modo a criar um sistema imunológico perfeito e intransponível.
Cansaço, roubos, inveja, corrupção, vícios, apego à sexualidade, psicoses, religiões, divisões, envelhecimento? Não! Um mundo novo, sem defeitos, sem rivalidades, sem contrastes, com máquinas inteligentes fazendo todo trabalho pesado, todos em prol de uma causa comum: a unidade. Apenas as almas muito fortes conseguiriam furar o "confortável" bloqueio da super-mãe.

(Jackson Angelo, em 08/12/2014)

Quando nada mais surpreende o coração

 
Imagem: coração estranho, parece rindo, parece assustado, parece olho aberto e fechado, parece também chorando e desesperado. Tem o símbolo do infinito rabiscado, envolto a um arco-íris circular e limitador. 
Autor: Jackson Angelo

Bondade, maldade: faz tempo que nada me surpreende!
O inesquecível: nenhuma história em filme ou qualquer arte ainda me mostrou que sempre tivesse o mesmo brilho da primeira aparição
Nenhuma música nova, e faz tempo que nenhuma música entra no coração pra ficar pra sempre
Nesse sempre do coração humano que é tão finito
Lá no fundo tenho vontade de ser surpreendido, claro que por algo bom, ótimo, excelente, diferente, criativo, impensável, insuspeitado
Não queria que fosse assim: tudo se mostra tão previsível; os silêncios ou as palavras, respostas ou perguntas, formas de agir ou de nada fazer
Só Deus ainda escapa ao raciocínio e a essa finitude do que o coração pode sentir e revelar
Quando penso n'Ele sei que haverá sempre uma enorme surpresa, inesgotável fonte de linhas, folhas, contos, prosas, poesias e histórias
Só Deus pra confiar inteiramente, cegamente, apaixonadamente
Só em Deus pra seguramente depositar todo sentimento, toda esperança
Ele que fez os sóis e galáxias certamente pode fazer coisas maiores e mais intensas
Essa intensidade do que Deus pode fazer e criar, do que Ele pode pensar nesse infinito de possibilidades que Ele tem
Esse infinito que é só d'Ele mesmo, que anima quando tudo parece tão desbotado por mais cores que tenha a tela
Seria preciso inventar um novo dicionário porque tudo que conhecemos e podemos dizer se limita à nossa possibilidade de conhecer e pensar e de se expressar
Que é limitada, limitada, limitada
Deus não é limitado, ciência tem limites, homens têm limites, Deus não
Por isso, tantos se surpreendem porque Ele continua cada vez mais vivo
Sem nunca ser totalmente visto por ninguém, é para Ele que toda história converge
Essa história limitada do homem na Terra
E é pra Ele que nossa falta de história pessoal deve se dirigir quando começa a ser ainda mais previsível e matematicamente, existencialmente pobre de sentido, de vida, de amor, de amigos, de verdades, de encantos!
(Jackson Angelo, 10.12.2014)

O limite do meu controle



Seu eu tivesse controle do universo, do rumo das estrelas, do rumo da cabeça e do corpo das pessoas, mas nem a mim mesmo consigo controlar. 
Se eu pudesse fazer com que tudo saísse matematicamente certo todo instante, mas não é assim. Uma hora alguém pode desmaiar do seu lado, um avião pode cair, você pode perder um documento ou esquecer de alguma coisa. 
Uma hora você pode correr uma maratona e noutra não suportar mover um dedo, as forças e fraquezas se revezam sem que você queira. 
Uma hora alguém adoece, você adoece, alguém a quem ama adoece, você tem que compreender também que na vida das pessoas também existem essas indesejáveis imprevisibilidades.
Uma hora não há nada pra fazer, noutra é tudo ao mesmo tempo agora.
Tudo pode coincidir em qualquer dia e o que fazer? Suportar e pedir a Deus pra fazer o certo.

(Jackson Angelo, em 23/12/2014)

O que me falta para adocicar minha alma?

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017



É preciso algo para adocicar a alma quando o amargor está em toda parte. Algo para que o cheiro das rosas, das folhas, dos oceanos, das pessoas com quem convivemos não sejam superados pelo miasma de mortes contínuas: a morte do eu de tantos seres humanos, do mundo, a morte do que é sincero, verdadeiro, puro e justo. 
Miasma da morte de quem ainda teria chance de mudar para melhor, de se refazer, se reerguer, se recuperar, se encontrar, achar um significado, abraçar a verdade.
Algo para apaziguar os raios, trovões, tufões, tempestades nos céus e nos mares, no mais fundo do coração, na região mais interior da cabeça.
Adocicar o pensamento para que ele se encaminhe para o bem, ainda que não veja com clareza límpida, cristalina, não importa se essa é a real intenção.
Preciso de algo para me adocicar, para tirar o travo, o fel de memórias que insistem ferozmente em pulverizar lixeiras e caixões do aço mais forte que minhas forças puderam criar.
Preciso entender de tinta em tinta o que os poetas escreveram com seus corações confusos, pulsando sentimentos e emoções inexprimíveis; entender o que a Bíblia traz de absoluto, o que o próprio Deus morrendo em nosso lugar quis comunicar aos corações.
Preciso mergulhar em múltiplas telas e extrair as melhores cores e os melhores significados.
O açúcar, o doce, o apetitoso, o bom perfume então estaria no mundo ou dentro de mim? Novamente, minha alma só diz: Jesus.

(Jackson Angelo, em 26/12/2014)

Quando alguém me conta seus sofrimentos e dores

Montagem e mensagem: Jackson Angelo 

Neste ano, ouvi muitas pessoas falando de si mesmas e dos seus sofrimentos, decepções, desilusões, frustrações e perdas. Foi tudo muito espontâneo e sincero da parte delas. Nem entendo porque justo a mim se abriram de tal forma. Agradeço a elas por fazer com que eu me sentisse útil, pelo menos para ouvir com sinceridade. Não é fácil desejar, precisar falar de si mesmo em coisas que perturbam o seu interior porque há muita gente que não merece mesmo confiança e a vida mostra que há exércitos de pessoas hipócritas. Eu mesmo acho que a hipocrisia é o que mais existe nesse mundo, um mal tantas vezes necessário para manter o equilíbrio das coisas. Não aprecio hipocrisia, me sinto mal, me sufoca, me afasta de tudo o que acredito ser bom.
Pessoas que me mostraram que seus sofrimentos são igualmente ou até mais dolorosos, que suas dores serão reais por séculos, que muitas de suas perdas não têm reparo, mas que igualmente essas dores e perdas não conseguiram destruí-las nem tirar delas a esperança, ainda que cega, ainda que sem razão. Que mesmo em meio ao mais absoluto caos alguma força dentro de si mesmas e até mesmo a força inevitável de Deus fez com que elas caminhassem para frente e pudessem ver o brilho do sol após a intensa, escuríssima e demorada tempestade.
É muito difícil passar pelas tempestades da vida, por situações pra lá de indesejáveis, que machucam profundamente a alma. Sei, quase todos dirão: "confie em Deus, Ele tem solução para tudo". Eu acredito. Ocorre que é natural precisar de calor humano, de pessoas perto de nós, iguais a nós, que nos façam entender como humanos estes sentimentos que nos incomodam. Jesus, em um momento der dor inexprimível suplicou: "pai, pai, por que me desamparaste?". O abandono, o desamparo, o sentir-se completamente só não é bom, causa desespero, principalmente se sentimos isso com as pessoas que mais prezamos e amamos.
É uma responsabilidade enorme ouvir com sinceridade e honrar a confiança de outra pessoa. Nessa missão inesperada, ter o que falar, ajudar com palavras é ainda mais desconcertante, especialmente quando olho pra minha falibilidade, pros meus erros, pros meus próprios desencantos. Novamente, ainda que não nomeie, a única reposta que tenho como certa é: Jesus!

(Jackson Angelo, em 28/12/2014)

Mereço ouvir isso?


Mereço isso? Olhar na face de quem respeitamos e dizer: mereço ouvir isso? Palavras bruscas, que ferem, com balanças egoístas quando você nunca foi egoísta?
Mereço que meu nome seja escrito, falado, interpretado dessa forma, , com tais palavras seja em comentários seja em registros escritos?
Olhar na face de quem amamos: mereço esse julgamento? Tem total certeza, clara certeza da forma como você está julgando? Das palavras usadas para me trazer o que está no seu coração?
Porque se disserem que mereço, sabendo eu que não e de modo algum, então sou apenas um objeto, não um ser com sentimentos, com valores, com visão, com capacidade ainda que menor que a sua de entender as coisas. A cabeça não é apenas um enfeite do pescoço e de bonito tenho muito pouco cada dia mais.
O que fazer? Que mundo é esse!?!?
Mas é assim.O mundo tem os seus ridículos, tem as suas injustiças do dia a dia, tem a quebra de toda sensibilidade, de todo respeito.
Não se falta apenas o respeito com o que está escrito na lei, mas com esse descontrole leviano de palavras, de juízos.
E se eu quiser fazer esse a quem julga de modo tão mesquinho, restritivo, conveniente pra si mesmo e equivocado entender a verdade por completo? Simplesmente dirá: eu mereço ouvir isso? Merece "visse, bichin", mas tem muita coisa que não merece qualquer tipo de resposta.

(Jackson Angelo, em 27/12/2014, num dia perturbado)
 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe